Fratello Uno


Voltar


Publicado em 14 de outubro de 2015

Alimentos x Emoções


Conheça alguns alimentos que devem ser consumidos no dia a dia para diminuir os efeitos do stress, que aumentam as doenças da vida moderna como: TOC, ansiedade, depressão e pânico.

Banana: é um carboidrato fonte de triptofano (cada 100g do alimento contém, em média, 18mg desse aminoácido). Uma fruta rica em diversos minerais e vitaminas sendo, neste caso, uma referência de piridoxina (vitamina B6), que atua na transformação do aminoácido triptofano em serotonina e melhora a estimulação de neurotransmissores, diminuindo as alterações de humor e a depressão.

Sem a serotonina, diminuímos os influxos neuronais e as consequências são depressão, irritabilidade, insônia, ansiedade, mau humor e o aumento exagerado da fome. A serotonina é anorexígena e diminui a compulsividade e a fome.

Mel: é um carboidrato fonte de triptofano, que tem ação calmante, induz a uma sensação de bem estar e melhora a função da serotonina no cérebro.

O mel tem uma função importante como regenerador da microflora intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto, o mel ajuda a manter a integridade intestinal e colabora com a regulação neuro-endócrina. Quanto mais serotonina, menos tristeza e mais sensação de prazer.

Abacate: a fruta rica é em ácido fólico, vitamina B3 (niacinamida) e potássio. O abacate tem mais proteína que qualquer outra fruta, cerca de 2g para cada porção de 110g. Possui ainda quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6.

Cuidado com o alto teor calórico – 110g contém cerca de 200 calorias. Por ter a Vitamina B3, tem ação específica sobre o sistema nervoso central colaborando com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro, além de efeito relaxante. Essa vitamina tem ação conjunta com o ácido fólico, que atua como coenzima de diversos neurotransmissores.

Lentilha: é uma leguminosa fonte de proteínas vegetais, importante fonte de cálcio na dieta e contribui mais significativamente para o aumento de bifidobactérias e bactérias lácticas na flora intestinal. Com essa função, há otimização na absorção de alguns minerais importantes para a regulação dos neurotransmissores, como o próprio cálcio e o magnésio.

O equilíbrio do cálcio e do magnésio atua no metabolismo cerebral e equilibra as sensações, evitando estados de medo e pânico constantes. Esse fenômeno também ocorre com esse alimento, que pode ser precursor do GABA, neurotransmissor que está envolvido com os processos de ansiedade e pânico. Tem um efeito ansiolítico sobre essas reações.

Óleo de linhaça: contém Lignana, uma substância responsável pelo restabelecimento do hormônio sexual estrogênio, que cai bruscamente na menopausa. O óleo de linhaça possui substâncias parecidas como os estrogênios, só que tem ação mais atenuada, melhorando a absorção de cálcio e prevenindo, por exemplo, a osteoporose.

A presença balanceada dos ácidos graxos Ômega 3/Ômega 6 facilita a produção das prostaglandinas, que são corpos biologicamente muito ativos e importantes. Presentes em todas as células e construídas por elas a partir dos ácidos graxos mono e poli-insaturados, participam do processo de manutenção do equilíbrio hormonal. Com isso, ajuda a regular os hormônios e melhora o nível de serotoninas cerebrais que controlam o sistema nervoso, baixando o nível de ansiedade e diminuindo a compulsão alimentar.

Nozes: é do grupo das oleaginosas. Possui vitamina B1, que ajuda a converter glicose em energia. Também imita a acetilcolina (neurotransmissor envolvido na memória) e possui um papel importante nas funções cerebrais relacionadas com memória e cognição. Tem Inositol, que apesar de não ser considerado oficialmente enquanto vitamina B, é reconhecido como parte do complexo B. É encontrado nas membranas celulares como fosfatidilinositol, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina.